Avançar para o conteúdo principal

Janeiro e Fevereiro 2019

Em Dezembro de 2018 pensei nos "pontos chaves" do ano e a verdade é que tive dificuldade em sintetizar tudo.
Resolvi que mensalmente iria fazer a retrospectiva do que se tinha passado e publicar aqui. Podem chegar com atraso, mas certamente que vão chegar.


Janeiro 2019

Foi um mês que teve 571 dias!!! Comprido...sem fim à vista e muito custoso de passar. Não é que tenha sido um mês negativo mas foi um mês que me pareceu um ano.
Mas vamos lá...

O ano começou na Serra dos Candeeiros a ver o fogo de artificio de todo os lados possíveis: São Martinho, Nazaré, Caldas da Rainha...

Para manter a tradição, fomos no primeiro dia do ano à Nazaré. Tempo "fabulástico" para recarregar energias e pensar nos próximos 364 dias.

O Diego quis fazer "anjos na areia"...e eu só penso: "quando é que ele cresceu tanto que eu nem dei por isso?"


Sempre adorei agendas e aquela ideia de "começar um caderno novo". Tentei modernizar e adaptar-me a uma nova agenda tendo em conta as minhas necessidades reais e do dia-a-dia. Deixei a velhinha "Condor" e encomendei uma personalizada com as minha iniciais. No final do ano vamos ver se esta nova opção serviu os propósitos.

Foi neste mês que iniciei formação pós laboral. 75 horas distribuídas por 3 módulos, tendo como tema principal a "Alimentação". Nada relacionado com a minha actividade profissional, mas foi mesmo por gosto pessoal e estou a adorar.
Quem me "conhece" há bastante tempo sabe que tenho muito interesse sobre este mundo com tanta informação divergente, e em que se têm de saber diferenciar "modas" do que é realmente bom para a saúde. Senti que foi a sintetização dos conhecimentos que tenho vindo a adquirir na práctica e foi muito bom saber mais.
O primeiro tema foi "Nutrição e Dietética". 

Vendemos livros. O nosso objectivo de 2019 começou com a meta total de vendas de 50 livros. Em Janeiro vendemos 35!! Foi muito bom, mas obviamente que temos consciência que foi um mês atípico.  Talvez as pessoas comecem o ano a pensar "vou ler mais" e por isso compram mais livros !?!

E porque é que nos queremos desfazer dos livros? Tudo o que estamos a vender é "li, está lido!". Não penso em voltar a ler aquele livro; não acho que o meu sentimento pelo que li se vá alterar depois da venda; estão a ganhar pó e humidade e a perder valor; Assim, destralho e ainda consigo retornar algum valor desse investimento. Eu entendo que há pessoas que não se conseguem desfazer dos livros. Eu estive nesse "clube" por mais de 20 anos, mas ultimamente consegui libertar-me disso :)
Há livros que não me quero desfazer e por isso vou guardar, mas tenho mais de 400 para dar "outra vida".

"Li" o "Becoming" da Michelle Obama. Na verdade, foi o meu primeiro audio book  (apanhei uma promoção no Audible) e posso dizer que marcou o meu mês.
O facto de ser narrado pela própria Michelle Obama eleva a audição a outro nível. A clareza dos pensamentos,  a organização do livro, a demonstração de fraquezas inerentes a um ser humano...mesmo sendo uma das mulheres mais poderosas do mundo.
É engraçado que as partes que me interessaram mais foram o "antes do Obama" = a infância, a adolescência, a universidade...
Para quem gosta de coerência, integridade, postura, recomendo vivamente!

No Youtube, comecei um desafio/série sobre organização e simplificação da vida. Todas as semanas faço um vídeo sobre a actividade dessa semana. Para além de me motivar a "por em prática", também fica documentada a evolução da minha própria organização. O pontapé de saída foi a organização das decorações de Natal!

Este também foi o mês de despejar a arca. Apesar de ser "Non Frost", volta na volta fica mesmo "Frost". Tínhamos começado a tarefa em Dezembro e demorámos quase 1 mês e meio a fazê-lo. Isso quer dizer que a arca estava mesmo cheia. A minha luta com o homem é que: não é necessário estar assim! a melhor solução é mesmo ir comprando em pouca quantidade e não acumular tanto. 


E finalmente Janeiro chegou ao fim. Yyyyeeeeehhhhhh!!!!!!!


Fevereiro 2019

Comecei o 2º módulo da formação pós laboral. O tema da vez foi "Higiene e Segurança Alimentar".
Ajudou-me a perceber que há coisas que podem ser melhoradas, planos de ação que devem e podem ser implementados. Percebi melhor as limitações de quem sofre realmente de alergias alimentares (e não a moda generalizada de "intolerância" a qualquer coisa).

 O Diego foi ao dentista pela primeira vez. Fizeram uma revisão geral, uma limpeza e um reforço de flúor. Queria que ele ficasse familiarizado com o espaço e não identificasse o dentista como "castigo" , nem "o sitio onde se vai quando já está tudo mal".Superou as minhas expectativas e portou-se lindamente...muito melhor que "gente grande". Devo dizer que os profissionais que o atenderem foram extremamente importantes do processo: explicaram todos os mecanismos, todos os instrumentos, os processos e estivemos nisto por uns 20 minutos - o que deu tempo para ele se "sentir em casa".

Fomos à "Kidzania" (3ª vez para o Diego)! Parece impossível, mas eles (Diego e Nina) não se cansam daquilo!! E ficamos lá um dia inteiro...once and again :) Não repetiríamos a experiência se fosse "só brincadeira". Acho que aliar a brincadeira à vida adulta lhes abre a cabeça também para as responsabilidades e consciência financeira. 


No princípio do mês estive 5 dias em Frankfurt - Alemanha; Foi a 2ª vez que participei activamente na Feira; a nível profissional é muito positivo conhecer os clientes, entender  e discutir pessoalmente outras realidades e conseguir entender como se pode melhorar o atendimento; mas viajar a trabalho é mesmo trabalhar! Como no final do dia "pós feira", há outros compromissos, seja consultar e responder aos email, seja jantar com fornecedores/clientes , o tempo livre é quase nulo. Mas estou lá mesmo para isso: trabalhar! e tento aproveitar a oportunidade pela parte positiva. 
Mas ainda deu para "encontrar uma amiga do coração", e ir à "DM" ("parafarmácia/supermercado" alemã); 
O pequeno almoço abria às 7h00. Eu era sempre a primeira "cliente" :)
Não houve oportunidade de "passeios". O único que consegui fazer foi "hotel/feira";  

Foi bom ir... e foi muito bom voltar para casa. Durante a minha ausência, os "miúdos" portaram-se lindamente (como seria de esperar) e o Diego entendeu perfeitamente que "a mãe ia trabalhar". 

No final do mês tivemos um "verão" que bateu nos 20c. Cada vez que "dá Verão" eu aproveito sempre tudo o que posso.


Vi "A Star is born". Adorei a exposição dos traumas e situações mal resolvidas por detrás das personagens, de toda a "envolvência", mas queria mais! Queria que fosse mais fundo e que continuassem a dissecar...mas não havia tempo;...e como não poderia deixar de ser, gostei da banda sonora.

O último dia do mês coincidiu com o "primeiro dia de Carnaval" na escolinha. A verdade é que o Diego não passa grande cartão a isso e não me pede nada especifico. Isto acaba por ser contraditório, já que na "Kidzania" ele adora as actividades de "ser outra coisa", "ter uma profissão", vestir-se e utilizar todos os acessórios...mas no Carnaval não manifesta interesse.

No primeiro dia foi vestido de "Bombeiro" e só tive de comprar um chapéu novo já que o do ano passado lhe magoava a cabeça por estar apertado. Fora isso, não gastei mais nada e foi tudo reaproveitado do ano anterior.  
  
E os primeiros dois meses do ano foram assim...Agora, é um pulo até à Páscoa, outro até ao Verão e nem vamos dar por isso.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Um caso cabeludo...

Como é do conhecimento geral ( ou não!), a minha "área capilar" é dos sítios onde mais dinheiro tenho investido. Isto desde 2000 e troca o passo...
Sabem quando as mulheres se sentem invejosas com alguma coisa no corpo de outra mulher? Pois...a coisa que eu mais invejo é uma farta cabeleira e ver cabelos novos espetados a nascer! Esqueçam lá as coxas trabalhadas e os braços definidos! Se eu pudesse açambarcar alguma coisa de outra pessoa, era um cabelo mais farto.
Com a gravidez, não dava para fazer grande coisa, já que a maioria dos produtos eram contra indicados. Estava perfeitamente mentalizada que só iria retomar os tratamento lá para Outubro (supostamente seria quando deixaria de amamentar). Como as coisas tomaram outro rumo, deixou de haver razão para não atacar o mal pela raiz!
Alguns dias depois de ter parado a amamentação por completo, voltei aos cuidados capilares. Durante a gravidez o cabelo andou "o normal". Não senti "aqueles" benefícios tod…

Cuidados da pele - Rotinas e ácidos "The Ordinary"

Não sou dermatologista, nem facialista, nem especialista de coisa nenhuma, por isso a informação deste post reflecte a minha experiência pessoal e o que tenho pesquisado e lido em publicações que considero fidedignas.
Se me falassem há uns anos de "peeling" ou achava logo que era uma coisa muito radical e por "exfoliante" entendia que era aquela pasta dolorosa tipo "areia com agua". Com as pesquisas, fui entendendo as coisas de uma maneira diferente.

Adoro ouvir falar quem sabe realmente sobre produtos e explica as coisas de maneira que os leigos entendam. Recomendo vivamente duas senhoras que trabalham na "beauty industrie" : Caroline Hirons (UK) e  Stephanie Nicole (US) .

A minha pele da face sempre foi "boa". Não tive grandes crises de acne, nem marcas muito visíveis e sempre suportou confortavelmente as minhas oscilações de peso. Nos últimos anos, tenho-me preocupado mais com a qualidade da pele e menos com a maneira de disfarçar as im…

Hormonas e os seus efeitos colaterais

A queda de cabelo é um grande problema que tenho. Na realidade sofro de alopecia androgenética, ou seja "calvice tipicamente masculina". Vou controlando a situação com tratamento: gotas + pílula Diane 35 + Androcur. Este medicamente é o meu milagre e o meu desespero! Na Bula: "O Androcur é um medicamento hormonal que bloqueia o efeito de androgénios...; tem influência favorável em situações androgenodependentes, tais como crescimento excessivo de pêlos no hirutismo (NOT ME), perda de canelo (alopecia androgenética)..."(ME, ME!!!) Não é nada de alarmante porque me acontece SEMPRE que retomo o tratamento. Já tenho esta prescição há uns 3 anos e depois de alguns meses, faço uma paragem que acaba por coincidir com as alturas em que consigo andar mais equilibrada na balança.Tive de retomar o tratamento, mas estou expectante de que esta fase de adaptação, que costuma durar uns 3 a 4 meses, passe depressa. Os efeitos secundários em mim e que estou a sentir agora: Tensão Mamá…