Ready or not... 2018 está aí.

Não sinto vontade de fazer grandes balanços. Não sinto que tenha havido qualquer corte entre ontem (2017) e hoje (2018). Deitei-me e acordei exactamente igual, mas percebo que em termos de calendário seja tempo de fazer balanços e resoluções.

Na verdade se olhar para 2017, parece que só houve dois grandes momentos: um muito bom : a mudança de emprego e outro muito mau : a morte do meu pai. 
O novo emprego (novos horários e nível de pressão muito diferente) deu-me a oportunidade de ser uma mãe mais presente física e psicologicamente: fizemos actividades, enquadrámos novas rotinas e consegui dar-lhe mais apoio. 
A nível pessoal, a mudança profissional foi teve muita influência em mim : estou "mais leve", muito menos ansiosa e com vontade de projectar o futuro. O choque de realidade que levei com a morte do meu pai fez-e ter certeza de que na vida, ironicamente só a morte é que não tem remédio, todo o resto, por mais escuro que o buraco possa parecer, há sempre caminhos diferente. Não devo nem quero tomar nada por garantido. Esta perda reafirmou também a minha ideia que, o que se leva desta vida não são coisas materiais mas sim as memórias (dos que partem e que ficam), os momentos em que a nossa felicidade era "só aquilo", e o que mais dói são os planos inacabados, o que ainda poderia ser. 
Sou uma rapariga de planos flexíveis e tenho dificuldade em perceber as pessoas que acham que o quintal da vizinha é sempre mais verde que o nosso ou em que o copo está sempre vazio, sem conseguirem ver mais longe e reparar que ele está meio cheio e que estão a desperdiçar a vida só a pensar no meio vazio.
Isto não é um post de balanços ou resoluções, mas de continuações. Se é para pedir, peço saúde, muita saúde porque o resto...ajeita-se (acho que já disse o mesmo por aqui em anos anteriores).

Feliz 2018 e que seja tudo o que querem...e se não for, foquem-se mais nas conquistas e menos nas derrotas. Faz tudo parte da roda da vida e todos os dias podemos aprender e melhorar.
Happy New Year com Moscatel!!!


A entrada de 2018 não apaga o que se passou no ano anterior, por isso fica aqui registo dos últimos dias de 2017:

No dia 29.12.2017 tirámos um dia de férias e fomos passear; foi parte da nossa prenda de Natal para o Diego : irmos os 3 andar de comboio.

Acordámos sem pressas e quando chegámos a Lisboa, já era hora de almoço. Fizemos uma pit-stop no Mercado da Ribeira.

 , e no Cais do Sodré apanhámos o comboio para Cascais.
 Demos uma voltinha por Cascais e aproveitámos a oportunidade para andar na roda "gigante", brincar na areia e zanzar antes de nos metermos de volta no comboio para Lisboa.



No último dia do ano, "plantámos" 3 árvores no nosso quintal. Este plural é duvidoso, porque quem fez o trabalho todo foi o pai. Eu e o Diego demos apoio moral voltámos para o quentinho de casa. 


Achei melhor tirar fotos enquanto as árvores ainda estão vivas, já que somos péssimos cuidadores de plantas, árvores e flores: um limoeiro, uma laranjeira e uma tangerineira. 

A entrada foram camarões com torradas e vinho, mas para mim serviu quase como entrada e saída. Não dei vazão a fazer torradas para mim e para o cachopo. Pãozinho de alfarroba é top!

E foi assim! Para o ano há mais.

Comentários

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Um caso cabeludo...

Cinco dias diferentes...

Cuidados da pele - Rotinas e ácidos "The Ordinary"