Avançar para o conteúdo principal

Outubro 2017 - um mês bom!

Outubro 2017 vai ficar marcado como um mês de viragem na minha vida. 

Sabia que a mudança de emprego iria ter um forte impacto na minha vida, mas...não sabia o quanto. O lado negativo é que ainda me recrimino mais fortemente por não o ter conseguido fazer mais cedo. 

Na prática, Outubro foi um mês muito generoso e deu-nos sol e calor fora do normal; ainda que saiba que  não é bom para a agricultura, é mau para os incêndios, também sei que não há nada que possamos fazer para o alterar (apenas fazer o mais possível para combater as obscenas alterações climáticas dos últimos anos), mas o que quero dizer é que, se o tempo está bom, é aproveitar...e foi isso que fiz.

Coisas que mudaram:

.A mais importante foi sem dúvida "conseguir ir buscar o Diego à escolinha";
No primeiro dia repetiu 5 vezes à auxiliar que era "a mãe que o ia buscar"; mesmo assim, e para ele não pensar que havia uma "obrigação" de ser sempre eu, fomos dividindo esta tarefa: uns dias a mãe, uns dias o pai;  em quase 3 anos, eu nunca o fui buscar ao final do dia; obviamente que não posso voltar atrás e a "minha dor" vai permanecer cá, mas não há nada comparado com a felicidade dele quando lhe digo "hoje é a mãe";

.Como estou com o ele mais tempo, conseguimos fazer algumas coisas ao final do dia: visitar a família, andar de bicicleta, ir ao café, à Farmácia (uns dos sítios favoritos dele!!), ir ao Supermercado, jantarmos todos juntos..., enfim, tudo isto são coisas banais e mundanas, mas são coisas que, durante a semana eu NUNCA conseguia fazer com ele e por isso é tão importante para a nossa vida familiar; 

.Organização da casa: venho almoçar a casa e dependente do meu humor e energia, consigo aproveitar para fazer aquelas pequenas tarefas: recolher os lixos, fazer a cama, despejar ecopontos, tirar louça da máquina, adiantar o jantar, arrumar uma gaveta ou mesmo ficar na net a pasmar...Apesar de ser pouco tempo dá-me muito jeito;

Ler um livro por mês. Senhores! há quanto tempo eu não lia um livro numa semana!?! Fiquei com aquela sensação e ansiedade de "apetece-me ler já outro de rajada", mas como tudo, o que vicia não é bom para mim e tenho consciência de que, se fico agarrada ao livro deixo outras coisas para trás e não consigo ter bem conta, peso e medida.
"Tríptico" de Karin Slaughter - o livro do mês

.Sem me alongar, um familiar directo teve uma situação de saúde e eu senti-me tão mais descansada por estar no novo emprego; sabia que se fosse necessário, poderia sair de um momento para o outro e ajustar os horários sem haver grande stress. É muito importante quando alguém no local de trabalho nos diz "family first" e entende que "há casos e casos". Se fosse antigamente, isto era mais um factor de stress e de tristeza porque sabia que, mesmo sendo uma questão importante eu não podia dar o apoio necessário, porque 30 minutos de ausência requeria 3 horas de preparação, 1 hora de passagem de recados, e infelizmente tudo o que poderia dar errado ia acontecer naquele espaço de tempo (pode parecer exagero e falta de organização, mas garanto que era verídico e que em nada estava relacionado com a minha desorganização).

Gosto de assinalar o que faço com fotos e por isso, ilustro algumas das coisas que fizemos durante este 31 dias:

 No dia 6 de Outubro, fomos passear a Elvas. Um calor que não se aguentava (40ºC) e enquanto o pai andava a zanzar, optei por ficarmos parados à sombra. Melhor opção de sempre!

No 2º f-d-s, aproveitamos mais uns dias de "verão com muito calor" e depois das brincadeiras no parque infantil, visitamos mais uma vez as salinas de Rio Maior.

As actividades do final do dia passam também por fazermos, muitos puzzles de todas as cores e feitios. Quando está preguiçoso pede-me ajuda; quando está de bom humor faz tudo sozinho e de uma virada.



 14-10-2017 - Festa de aniversário do A.; Houve insufláveis , muita brincadeira...e batatas fritas - em casa não há, mas nas festas tem carta branca para comer estas coisas. Nem sempre, nem nunca! gostava que, dentro do possível, ele tivesse uma boa educação alimentar e soubesse gerir e equilibrar as coisas. Isso requer trabalho dos pais, da escola e da criança, mas acho que vamos no bom caminho.

A nível dos "grandes", tive direito a jantar e lanches com as amigas. Sabe bem deixar para trás a cachopada e conversar "a sério" (no meio de muitas risadas). Há mesma hora, no sitio do costume :)

Das coisas que mais gostei de fazer em Outubro "foi nada". Chegar a casa, abrir as portas e ficar só a olhar para o nosso "jardim", onde se cruzam as ervinhas a rebentar (tal e qual Primavera) e as folhas, próprias do Outono. Adoro, adoro, adoro!
O nosso "jardim".

Halloween - ainda que não seja uma tradição portuguesa, não nos podemos esquecer que a globalização democratizou usos e costumes. É claro que há tradições que fazem mais sentido nuns sítios do que nos outros, mas eu gosto do Halloween e pelo segundo ano, decorei a casa e abri a porta cada vez que me tocaram à campainha. Foi a forma perfeita de encerrar o mês.

Obviamente que foi também um mês de adaptação: novos colegas, novos locais, novas metodologias, novos horários ( e uma pessoa habitua-se tão facilmente às coisas boas!), novas rotinas com o Diego. Ainda há muita arresta para limar e sei que ainda posso e vou rentabilizar melhor o meu tempo;

Que venha Novembro... 

Comentários

  1. Ainda bem Lu, fico feliz por ti, por teres tomado essa decisão e teres agora mais qualidade de vida. Não penses no que perdeste, pensa no que ainda vais ganhar :) beijinhos, Carolina (Hermione) :)

    ResponderEliminar
  2. Que notícias maravilhosas Luciana!! Fico mt feliz por ti! O teu menino está enorme! Não há nada que pague estes momentos em família, com os nossos tesouros, NADA!!! Tudo a correr bem e as maiores Felicidades!

    Espero um dia também ter a ousadia de mudar...

    um beijinho grande

    ResponderEliminar
  3. Também vivo perto do local de trabalho e almoço em casa, o que dá muito jeito para despachar tarefas mais rápidas.

    ResponderEliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Um caso cabeludo...

Como é do conhecimento geral ( ou não!), a minha "área capilar" é dos sítios onde mais dinheiro tenho investido. Isto desde 2000 e troca o passo...
Sabem quando as mulheres se sentem invejosas com alguma coisa no corpo de outra mulher? Pois...a coisa que eu mais invejo é uma farta cabeleira e ver cabelos novos espetados a nascer! Esqueçam lá as coxas trabalhadas e os braços definidos! Se eu pudesse açambarcar alguma coisa de outra pessoa, era um cabelo mais farto.
Com a gravidez, não dava para fazer grande coisa, já que a maioria dos produtos eram contra indicados. Estava perfeitamente mentalizada que só iria retomar os tratamento lá para Outubro (supostamente seria quando deixaria de amamentar). Como as coisas tomaram outro rumo, deixou de haver razão para não atacar o mal pela raiz!
Alguns dias depois de ter parado a amamentação por completo, voltei aos cuidados capilares. Durante a gravidez o cabelo andou "o normal". Não senti "aqueles" benefícios tod…

Cuidados da pele - Rotinas e ácidos "The Ordinary"

Não sou dermatologista, nem facialista, nem especialista de coisa nenhuma, por isso a informação deste post reflecte a minha experiência pessoal e o que tenho pesquisado e lido em publicações que considero fidedignas.
Se me falassem há uns anos de "peeling" ou achava logo que era uma coisa muito radical e por "exfoliante" entendia que era aquela pasta dolorosa tipo "areia com agua". Com as pesquisas, fui entendendo as coisas de uma maneira diferente.

Adoro ouvir falar quem sabe realmente sobre produtos e explica as coisas de maneira que os leigos entendam. Recomendo vivamente duas senhoras que trabalham na "beauty industrie" : Caroline Hirons (UK) e  Stephanie Nicole (US) .

A minha pele da face sempre foi "boa". Não tive grandes crises de acne, nem marcas muito visíveis e sempre suportou confortavelmente as minhas oscilações de peso. Nos últimos anos, tenho-me preocupado mais com a qualidade da pele e menos com a maneira de disfarçar as im…

Hormonas e os seus efeitos colaterais

A queda de cabelo é um grande problema que tenho. Na realidade sofro de alopecia androgenética, ou seja "calvice tipicamente masculina". Vou controlando a situação com tratamento: gotas + pílula Diane 35 + Androcur. Este medicamente é o meu milagre e o meu desespero! Na Bula: "O Androcur é um medicamento hormonal que bloqueia o efeito de androgénios...; tem influência favorável em situações androgenodependentes, tais como crescimento excessivo de pêlos no hirutismo (NOT ME), perda de canelo (alopecia androgenética)..."(ME, ME!!!) Não é nada de alarmante porque me acontece SEMPRE que retomo o tratamento. Já tenho esta prescição há uns 3 anos e depois de alguns meses, faço uma paragem que acaba por coincidir com as alturas em que consigo andar mais equilibrada na balança.Tive de retomar o tratamento, mas estou expectante de que esta fase de adaptação, que costuma durar uns 3 a 4 meses, passe depressa. Os efeitos secundários em mim e que estou a sentir agora: Tensão Mamá…