Avançar para o conteúdo principal

A promessa de 2017 - Janeiro e a primeira semana

O que é que tenho planeado para 2017? 
Nada...e tudo.

2016 foi um ano "chove não molha". Não foi um ano mau, mas também não foi um ano bestial e nem tenho momentos excepcionalmente marcantes.
Os "pontos altos", aqueles que que ficam marcados no meu coração e cabeça, envolveram quase sempre o Diego. Sem dúvida que ele é a pessoa que mais me amolece a alma e com 2 anos e meio já tem a capacidade de me "lamber as feridas"...quando a regra é ao contrário.

Para 2017, quero ter muita saúde (pedido que está sempre no top) e o resto... ajeita-se. 
É daquelas coisas que, só quando não a temos é que nos lembramos dela, mas ao mesmo tempo é daquelas coisas que está sempre presente na minha cabeça: sem saúde fica tudo mais difícil.

Já disse em outros anos, lá vai o tempo em que achava, tal qual a Cinderela, que com a virada do dia 31 de Dezembro mudava tudo. Esqueciam-me as mágoas, os traumas e começava do zero. Ledo engano. A vida foi-me mostrando que pode ser altura de fazer balanço, mas que a mudança vem de dentro e não se realiza no relógio.

Os projectos pessoais para o próximo ano são básicos: em alguns objectivos usa-se "melhor", "mais", em outros"menos". Nada de excepcional.


Vou tentar fazer um balanço semanal, público ou não público, mas penso que a assiduidade será importante para me ajudar a ir pelo caminho certo.


Semana 1 

No primeiro dia do ano, começamos com a habitual visita à Nazaré. O tempo estava bom e levamos a bicicleta do Diego para ele andar. Isto é um teste de paciência  = demoramos 1 hora a fazer um caminho de 30 minutos, porque ele anda para a frente, sai da bicicleta, anda para trás, pára, arranca...


Aproveitei também para recomeçar muito lentamente a actividade física. Não quero ir "com muita sede ao pote". Quero mesmo é impor alguma regularidade. 

No dia 03.01.2017 fui ao dermatologista. Consulta de 4 minutos = 60.00€. Só continuo a ir, porque normalmente o Dr. é assertivo no tratamento; 

Na primeira semana, recebi também uma lembrança de Natal atrasada. Sabe sempre bem :)


A semana de trabalho não foi muito meiga e estava D-E-S-E-J-O-S-A que chegasse 6ªf..e ela chegou!!!!
Dia de Reis e noite de desmantelar a árvore de Natal. Tudo encaixotado e remetido para o sótão. Daqui a uns 10 meses voltaremos à acção. 


A nível alimentar, tenho-me comportado melhor: mais variedade, menos presa... 



No sábado, 7, aproveitamos o bom tempo e enquanto o pai foi ao mercado, nós fomos para o parque infantil (que está a precisar de uma intervenção urgente!).

Foi também dia de refazer as unhas de gel. Nas primeiras 2 semanas, o crescimento nem se nota muito, mas na 3ª semana ficam feias, exactamente porque é muito visível. 
 Unhas com 21 dias.
Estive entre estas 5 cores. O que é projectado na embalagem não jus à verdadeira cor. Optei pelo "Out to luch". Adoro este nomes meio sem nexo. Volto daqui a 3 semanas.
 Resultado final

No sábado, fiz(emos) também uma experiência de cheese cake. Aspecto miserável, mas com muito bom sabor. #elajácomeaçucar, mas isso fica para outro post.

A primeira semana foi assim. 

Comentários

  1. Feliz 2017! Ainda bem que voltaste ;) beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Que bom receber noticias tuas :) Beijinhos e um OTIMO 2017!

    ResponderEliminar
  3. Olá, que bom que voltaste.
    Happy 2017.
    Bjs

    Sandra Carvalho

    ResponderEliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Um caso cabeludo...

Como é do conhecimento geral ( ou não!), a minha "área capilar" é dos sítios onde mais dinheiro tenho investido. Isto desde 2000 e troca o passo...
Sabem quando as mulheres se sentem invejosas com alguma coisa no corpo de outra mulher? Pois...a coisa que eu mais invejo é uma farta cabeleira e ver cabelos novos espetados a nascer! Esqueçam lá as coxas trabalhadas e os braços definidos! Se eu pudesse açambarcar alguma coisa de outra pessoa, era um cabelo mais farto.
Com a gravidez, não dava para fazer grande coisa, já que a maioria dos produtos eram contra indicados. Estava perfeitamente mentalizada que só iria retomar os tratamento lá para Outubro (supostamente seria quando deixaria de amamentar). Como as coisas tomaram outro rumo, deixou de haver razão para não atacar o mal pela raiz!
Alguns dias depois de ter parado a amamentação por completo, voltei aos cuidados capilares. Durante a gravidez o cabelo andou "o normal". Não senti "aqueles" benefícios tod…

Cuidados da pele - Rotinas e ácidos "The Ordinary"

Não sou dermatologista, nem facialista, nem especialista de coisa nenhuma, por isso a informação deste post reflecte a minha experiência pessoal e o que tenho pesquisado e lido em publicações que considero fidedignas.
Se me falassem há uns anos de "peeling" ou achava logo que era uma coisa muito radical e por "exfoliante" entendia que era aquela pasta dolorosa tipo "areia com agua". Com as pesquisas, fui entendendo as coisas de uma maneira diferente.

Adoro ouvir falar quem sabe realmente sobre produtos e explica as coisas de maneira que os leigos entendam. Recomendo vivamente duas senhoras que trabalham na "beauty industrie" : Caroline Hirons (UK) e  Stephanie Nicole (US) .

A minha pele da face sempre foi "boa". Não tive grandes crises de acne, nem marcas muito visíveis e sempre suportou confortavelmente as minhas oscilações de peso. Nos últimos anos, tenho-me preocupado mais com a qualidade da pele e menos com a maneira de disfarçar as im…

Hormonas e os seus efeitos colaterais

A queda de cabelo é um grande problema que tenho. Na realidade sofro de alopecia androgenética, ou seja "calvice tipicamente masculina". Vou controlando a situação com tratamento: gotas + pílula Diane 35 + Androcur. Este medicamente é o meu milagre e o meu desespero! Na Bula: "O Androcur é um medicamento hormonal que bloqueia o efeito de androgénios...; tem influência favorável em situações androgenodependentes, tais como crescimento excessivo de pêlos no hirutismo (NOT ME), perda de canelo (alopecia androgenética)..."(ME, ME!!!) Não é nada de alarmante porque me acontece SEMPRE que retomo o tratamento. Já tenho esta prescição há uns 3 anos e depois de alguns meses, faço uma paragem que acaba por coincidir com as alturas em que consigo andar mais equilibrada na balança.Tive de retomar o tratamento, mas estou expectante de que esta fase de adaptação, que costuma durar uns 3 a 4 meses, passe depressa. Os efeitos secundários em mim e que estou a sentir agora: Tensão Mamá…