terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Janeiro, Fevereiro e quase Março!

Para quem tem perguntado por mim, aqui vai um resumo de como vão as coisas por estas bandas:

Custa chegar aqui e escrever de uma forma verdadeira, sem parecer negativa. Não gosto de me estar sempre a queixar, nem a bater "na mesma tecla". Isso e o tempo livre reduzido, fizeram com que estivesse tanto tempo afastada; Tento passar revista aos blogues, que leio pelo menos 1 vez por semana, mas nem dá para comentar. 

O trabalho ( emprego) continua a afectar-me muito. Podia dizer "ainda bem que o tenho", "que recebo o salário ao fim do mês", mas a minha realidade é que, 12 horas de trabalho diárias de funções para as quais não me sinto vocacionada e cuja pressão é enorme, só representam pouca qualidade de vida, quer física quer psicologicamente. Sinto-me "sufocada". Said it.

O homem já mudou de emprego para poder acompanhar mais o filho...e o pai dele. Ordenado muito mais reduzido, mas com um horário certo das 8h00 às 17h00 e com a garantia de que dorme todas as noites em casa;

Entretanto, na sua última semana de trabalho na antiga empresa, o pai dele faleceu; tenho pena que o Diego não o tenha tido mais contacto com o avô. Fariam muito bem um ao outro.

Fora as "desgraças", sinto-me abençoada pelo filho que tenho. Até ver, é um "forte". Felizmente o mais "doente" que teve, foi mesmo a resmeira na época natalícia que se resolveu com soro, mascaras e alguns ben-u-ron.

Come bem (apesar de eu achar que ele não deve ser grande fã da minha sopa). Na creche, comia 3 CONCHAS de sopa, frutinha e ainda ficava a chorar por mais. Agora já começaram a introduzir o "segundo" prato.

É um safadeco com 10 meses, 7 dentinhos e que sabe quando faz as maldades (mexer onde não deve, atirar fora as coisas que não gosta, fugir para os sítios mais frios da casa);

Ainda dorme no nosso quarto e vai continuar por lá até...eu achar que se deve mudar;

Apesar de estar "mais estranho" com os outros, continua simpático e a rir à gargalhada.

Gatinha mais rápido que eu ando. Palpita-me que vai ser um corredor nato e ainda vai escrever um blogue tipo...."corre como um bebé".
É assim como um passe de mágica : "tão depressa aparece como desaparece"...e depois vamos dar com ele a arrumar a despensa, enfiado na casa de banho, a abrir e fechar portas, armários...



Continuo prática em relação às questões do desenvolvimento: acho que devemos estar atentas, mas o melhor é deixar andar: os dentes nascem quando querem; os bebés gatinham quando se sentem preparados para o fazer mas alguns nem o fazem e começam logo a andar; dão beijinhos e dizem adeus quando lhes apetece; ou seja, não me sinto stressada nem despontada se o amigo do infantário faz e o meu não, nem tão pouco que acho o máximo porque o meu foi mais "espertinho" que os outros. Não quer dizer que não se troquem experiências, ou se tentem esclarecer dúvidas, mas cada bebé é único e por isso diferente de todos ou outros. 

 Acho que continua um bebé muito feliz e é isso que me acalenta a alma.

De uma maneira vapt-vupt estas são as noticias possíveis.