sábado, 3 de janeiro de 2015

2014 já era...que venha 2015!

Desde há alguns anos que, apesar do ano novo poder funcionar como um reboot, não ponho a minha fé toda neste dia. 
Antigamente eu fazia altas resoluções e há primeira falha, descambava tudo e acabava por não fazer quase nada do que me tinha proposto.
Aprendi a fazer resoluções na hora certa. Aparece a oportunidade, aparece a resolução. 
No entanto é uma boa época para fazer balanços e gosto sempre de dar uma revisada no que se passou, até porque tenho muita tendência para esquecer das coisas e o blog é sempre uma ajuda excelente para reavivar a memória (vá...eu sei que nos últimos 3 meses tem estado vetado ao abandono, mas são fases)...

Resumo de 2014 numa palavra: Diego. (overdose de cachopo, mas a vida é mesmo assim :))
2014 foi indiscutivelmente um ano dedicado ao rebento: a gravidez, o nascimento e os primeiros 8 meses de vida.

Aqui vamos nós..

Janeiro


Fizemos a nossa última viagem de "solteiros"(não que nos tenhamos casado!). 
Grávida de quase 27 semanas, fomos a Amesterdão e foi uma experiência muito positiva. Adorei, adorei e adorei!! Foi daquelas viagens que nos fazem "pessoas melhores". 
Quero voltar um dia. De preferência na Primavera e com o Diego pela mão.


Fevereiro

Fomos dando umas passeatas aos f-d-s e aproveitamos algum sol que apareceu. Como eu gosto de dias assim!
A nível de trabalho, comecei a organizar a minha retirada. Afinal já só faltava 1 mês e meio para o meu afastamento.


Março

Última ecografia. Começo das visitas semanais aos hospital para confirmar como estava tudo com o rapazeco.


Abril

Dia 2 foi o farewell work (remunerado!) e comecei 2 semanas de férias que serviram para fazer as ultimas limpezas e deixar tudo minimamente organizado.  

15.04.2014 
Um dia antes de ir para a maternidade. Passeio à Nazaré para me despedir da barrigona e dos 9 meses mais felizes da minha vida. Eu adoro ser mãe e cada dia o amor cresce mais (apesar de acharmos que isso é quase impossível), mas posso dizer que o período da gravidez foi o tempo em que me senti na felicidade pura...como se aquele fosse o meu estado natural. As hormonas são tramadas, mas isto também funciona no bom sentido! 

16.04.2014 
Lá está! Tenho boas recordações, mas não foi o "dia mais feliz da minha vida"., no entanto, marcou certamente o começo de um novo ciclo.

Maio 

16.05.2014
Primeiro mês de vida. Passamos por algumas dificuldades, especialmente no flop da amamentação, mas acho que a nível geral não podia ter corrido melhor.


Junho

A primeira ida a Lisboa. As lembranças de termos de trocar a fralda na estação de metro e de tanta tralha que era preciso!


Julho

Algumas idas à Nazaré para visitar as mininas amigas. 


Agosto


Acabamos por cancelar os planos de férias que tínhamos e fizemos alguns desvios aqui pela região Oeste.



Setembro



Setembro foi "o mês".

A ida do Di para a creche, o falecimento da minha avó e e o meu regresso ao trabalho. 
Isto ainda vai dar post, mas pensei que seria mais difícil conciliar as tarefas domésticas com a maternidade. Não estou a dizer que é fácil! Talvez seja por uma questão de prioridades: de manhã prefiro fazer cócegas e brincar com ele durante mais 5 minutos, do que deixar a cama feita; prefiro andar a rebolar no chão com ele do que deixar a cozinha limpa; prefiro que ele durma uma sestinha ao meu colo do que ter o chão limpo. Pay attention que a casa não está um antro de pulgas!!! É mesmo uma questão de não stressar com o que está por fazer, mas sim pensar no que é importante fazer naquela altura! 
Para mim, o mais difícil está a ser conciliar o meu tempo com o do Diego (acordado!). Passar 12 horas afastada de casa não é fácil. Trabalhar 9 horas por dia não devia ser a excepção, mas sim a regra. São momentos de divertimento, de birras, de cumplicidade, que se perdem e que não se recuperam. Acho que sinto mais esta perda do que dele, porque felizmente é um miúdo bem disposto por natureza e que se adapta bem às situações e às pessoas.


Outubro e Novembro e Dezembro

Parece que foram tres meses que se pegaram uns nos outros.
Foram pautados pela intensificação do trabalho e a minha mãe teve de começar a ser uma segunda mãe do Diego: ir busca-lo à escola, dar-lhe banho, dar-lhe jantar. Família é mesmo para as horas más e...boas.
Os "dentinhos" começaram a aparecer, assim como as "resmeiras" e tudo o que isso implica. Felizmente não foi nada de muito grave, pelo menos comparado com outros coleguinhas e bebés,. Apesar de me terem ligado algumas vezes da creche a dizer que estava com febre, e de ter tomado antibiótico, nunca tivemos de ir ao hospital com o Diego (bom sinal!). 
Por outro lado, fomos ao hospital como visitas (mau sinal). O meu sogro caiu e partiu a bacia. Os 80 anos não ajudam à recuperação e prevêm-se dias complicados.

 Outubro - Como ele gosta desta prima!
Novembro:

Num rápido-rápido chegamos ao Natal. Foi dos dias em que esteve pior, mas mesmo assim, portou-se lindamente.

Dezembro:





Prespectivas para 2015

Vai ser um ano de ajustamento da nossa dinâmica familiar. Seguramente também vai ser uma ano de contenção e de puxar pela imaginação para fazer "render o peixe". Vamos ver como corre.

Por outro lado vai (tem de!) ser um ano de esperança de que tudo vai correr bem.
Haja saúde, família e amigos que tudo se ajeita.

Feliz 2015!!