segunda-feira, 16 de junho de 2014

Exercício Físico na gravidez e no pós parto.

Até às 10 semanas de gravidez o exercício andou muito parado por estes lados. Falta de energia, dores ligeiras no baixe ventre quando me esforçava mais, mesmo em simples caminhadas. O meu objectivo era não ter problemas, não era arranja-los.
Sabia e sentia que, quando fosse tempo de retomar o exercício, o meu corpo ia dar o sinal verde. Depois da 11ª semana, as coisas começaram a normalizar, o sono retomou os níveis normais, a energia deu o ar da sua graça e as dores (impressão) diminuíram.

Numa conversa de cabeleireiro, o meu interesse pela hidroginástica surgiu. Em certas coisas sou um bocado intempestiva. A ideia surge e tem de ser logo executada. No dia útil seguinte, fui logo saber pormenores nas piscinas municipais e meteram-me à vontade para fazer uma aula experimental para ver como me sentia - e no dia seguinte lá estava eu - com um fato de banho comprado 1 hora antes e de touca com 8 anos (mas muito bem conservada!);
Fui conversar com a professora e explicar a minha situação já que aquela não é aula de grávidas. Também há essa modalidade, mas era impossível de encaixar no meu horário e acaba por ser mais ao nível de preparação para o parto. 
Tive tratamento 5 estrelas. Sempre que os exercícios não eram adequados para mim, ela fazia-me sinal e dava-me alternativas. Gostei tanto da aula, que me inscrevi logo e comecei a meio de Outubro.

Comecei a fazer à 3ªf e 5ªf e fiz até final de Janeiro.
Se no inicio era engraçado ter um plano só para mim, depois começou a ficar chato ter de fazer os mesmos exercícios de respiração over and over again. Sentia inveja das minhas colegas sexagenárias que treinavam pernas, braços e abdominais com uma intensidade moderada, mas como eu estava a parte, nem isso fazia.
Fui à hidroginástica sempre que deu (pelo menos uma vez por semana), mas não fiz mais do que isso. A motivação voou por completo em Janeiro.
No principio de Fevereiro comecei com as aulas de preparação para o parto e senti que não valia a pena continuar na hidroginástica, uma vez que também tinha recomeçado a fazer 30 minutos diários de elíptica pela manhã.
Além disso, correndo o risco de ser coincidência (pela 2ª vez!!), durante o tempo em que fui à piscina, a minha queda de cabelo aumentou substancialmente.

Além disso, sempre que tive genica extra, fiz exercícios desde dvd, formulado especialmente para grávidas. São series de 10 minutos que se fazem bem, mas são bem "adrelinadas".

O meu regresso à eliptia foi feito a medo...
Não encontrei informação muito concreta sobre os benefícios/malefícios da sua utilização durante a gravidez. Acho que assumi que a elíptica era o mesmo que "escadas" e na realidade, acaba por ser mais similar a caminhadas.
Acordava às 6h15, "pequeno-almoçava" e ia para os meus 30 minutos. O treino plano, sem oscilações de intensidade e a uma velocidade moderada, melhorou em muito a minha caixa pulmonar - que estava uma lástima - e ajudou a que não me senti-se "perra" ou com a mobilidade reduzida. 

Dizem que, comparativamente ao primeiro trimestre o segundo trimestre é o melhor em termos de energia e que no terceiro volta a decair. Realmente o primeiro foi o mais "difícil".
As saudades que eu já tenho desta barriga!

Depois das 36 semanas, deixei o exercício mais de parte. Já estava com dilatação e não queria correr o risco de ele nascer antes do tempo. Em compensação, nunca parei de me mexer e as duas últimas semanas foram um fartote de limpezas em casa.

O D. nasceu a 16.04.2014. Não fossem os pontos!!..., porque eu senti energia para fazer exercício assim que sai da maternidade.
É certo que o corpo de uma mulher passa por um grande rebuliço neste período do parto e tem de se dar tempo ao tempo! Precisa de sarar e de se habituar à nova condição. É preciso que fique tudo ok e por vezes passam-se coisas no nosso interior e que nem damos conta!

Durante este tempo parada, onde é que senti mais a falta de exercício?
(A flacidez e a acumulação de "reservas maternas" nas ancas, não é para aqui chamada!) 
...onde senti mais falta foi mesmo nas pernas. Dos joelhos para baixo, a minha circulação ressentiu-se logo.
À espera para entrar na aula.

No dia 28.04.2014, 12 dias após o parto, fiz a primeira aula de recuperação pós-parto. É o 3º módulo do curso. Tem o valor de 70.00€ para 10 aulas que podem de ser feitas num prazo de 2 meses. 
Metade da aula é passada na conversa - esclarecimento de dúvidas, troca de impressões sobre os bebés... A outra metade é a parte física, onde trabalhamos maioritariamente com a bola. Se for feito da maneira correcta, dá para ficar "dorida".
São exercícios que se podem fazer em casa - bastava ter pesquisado um bocadinho quais os mais aconselhados - mas é uma forma de interagimos com outras pessoas (neste caso, outras mães) sem termos de nos preocupar onde vamos deixar o bebé nessa hora - nós fazemos o exercício e a Enfermeira G. toma conta deles.

No sábado, dia 03.05.2014, 17 dias depois de ter sido mãe, fomos dar uma voltinha pela vizinhança - muito levezinha, muito devagarinho, mas era o que eu precisava para desentorpecer as pernas. 
Esta volta também me fez ficar ciente de que, se quero passear com o cachopo pelo "campo", tenho de comprar uma protecção contra a bicharada e mosquitos. 
Depois disso, fizemos algumas caminhadas ou feito alguma elíptica, mas os meus joelhos não serviram de grande ajuda e eu também não quis forçar.
A consulta de revisão do parto foi feita e como está tudo ok! Não há limitações nenhumas que sejam impeditivas de começar a fazer exercício ainda mais regularmente.

Hoje, o Diego já faz 2 meses e por isso, acho que a data também pode assinalar o regresso definitivo  ao exercício físico moderado, mas mais regular. Durante os próximos 30 dias, vou tentar fazer pelo menos 30 minutos diários de... alguma coisa - que terá de ser encaixada consoante os nossos horários e a nossa vidinha.
Fica aqui o compromisso...   

4 comentários:

  1. "Where there's a will, there's a way"! Este teu percurso é exemplo disso. Força para os próximos 30 dias: caminhadas, elíptica, balançar o pequeno D nos braços... ;) O exercício que conseguires.
    Beijinhos grandes!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aaahhhaaa...os trabalhos com o D. não podem contar! São um extra muito prazeroso :)

      Eliminar
  2. Adoro a tua força de vontade! Força ai no exercicio ;) beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Às vezes temos é de puxar a vontade com muita força...mas depois fica mais fácil :)

      Eliminar