sexta-feira, 16 de maio de 2014

Ponto da situação #3 - Um mês de Diego


Mais do mesmo:
Raios! como o tempo passa tão depressa...

Parece que foi ontem que dei entrada no hospital e o meu cachopelho já faz hoje 1 mês.
Ainda nos andamos a descobrir e a adaptar. Apesar de ser tudo novo, não deixa de ser tudo muito familiar. É como se já tivéssemos vivido aquilo, mas deixado adormecido...e quando precisamos de meter as coisas em prática, elas saem naturalmente. Isto não quer dizer que eu saiba tudo (longe disso!), mas acho que é aquilo que chamam instinto maternal...

Ele
.Está com 4.010kg;
.Come bem (120ml 7 x ao dia) de 3 em 3 horas;
.Faz bem cocós e xixis;
.Dorme razoavelmente (e mais importante! de noite acorda para comer, mas adormece rapidamente!);
.Chora quando alguma coisa o apoquenta. Uns dias mais, outros dias menos;

Eu
.Contínuo a organizar as minhas coisas em função dos seus horários: de manhã oriento as coisas - se está a comer às 9h, então sei que posso fazer o planeamento de 3h em 3h a partir daí. Por exemplo, ontem ainda deu para irmos ao cabeleireiro para eu meter cor e cortar. A seguir passamos na farmácia e ao meio dia já estava em casa para lhe dar a paparoca;
.Não sinto "privação do sono". Tenho dormido pelo menos umas 7 horas por noite...com intervalos, mas mesmo assim acho que é muito bom;
.A minha indumentária tem variado entre pijama cor de rosa ou cinzento;
.A partir de hoje, vou tentar introduzir algumas novas tarefas e rotinas diárias...com isto do tempo passar a correr é melhor não me desleixar! há algumas coisas que quero fazer antes de regressar ao trabalho em Setembro.
16.05.2014

quinta-feira, 15 de maio de 2014

Alimentação nos últimos meses - gravidez

A alimentação foi uma preocupação que tive durante a gravidez. Não foi preocupação no sentido problemático, mas sim, como poderia potenciar ao máximo os alimentos, para benefício próprio e para beneficio do bebé.

Já tinha adquirido este livro antes de ficar grávida...mas obviamente a pensar nisso!

Desejos e Apetites

Como já mencionei, não tive "desejos". Em algumas semanas, talvez tenha sentido mais algum apetite do que o habitual, mas nada de extraordinário. Nunca me levantei de noite para comer. Nunca tive nenhum apetite desmesurado.
Uma das coisas que "me apeteceu" : Sopa de feijão seco - feita pelo pai.
Comi muitas vezes e fiquei com as minha necessidades satisfeitas.

Fora isso, talvez os meus desejos fossem mais direccionados para a proteína, especialmente queijo.
Esta souvenir de Amesterdão foi praticamente comida all by myself (sem sacrifício nenhum).

Reduções

Bebia em média 2 ou 3 cafés por dia. Reduzi para 1 café e 1 descafeínado. Não me custou nada esta concessão. 

Evitar

Bebidas Alcoólicas - Poderia ter feito algumas indulgências, mas pareceu-me absolutamente desnecessário. Se habitualmente bebia muito pouco, passei a não beber nada. 


A consumir...

Salmão

meu alimento é mesmo salmão. Tenho de me esforçar por não comer vezes de mais. O ideal será o salmão de águas selvagens, mas isso é difícil e ainda mais caro. 
O salmão tem muitos ácidos gordos Omega 3, EPA e DHA, estando directamente relacionado com o meu humor. É verdade! Desde que tomo suplemento de óleo de Salmão, notei melhorias extraordinárias. Isto já remonta  a Abril de 2013. Quando fiquei grávida, passei a consumir DHA materna (com o conhecimento da Ginecologista/Obstetra). Isto parece conversa de "banha da cobra" e por si só não faz milagres, mas ajudou em muito a superar algumas tendências depressivas.
Além disso, contribui para o desenvolvimento cerebral do menino. Daqui a uns anos, quando ele for para a escola eu faço um post sobre isto.


Frango e Perú

A exigência de proteínas sobe durante a gravidez. Não gosto de carnes "gordas" e por isso estas variedades são excelentes já que são maioritariamente magras. Tanto uma como outra, são consumidas regularmente cá em casa. Valha-me a monotonia e querer uma folginha de cozinha ao fds, mas um frango assado (aqui bem pertinho de casa) é quase garantido no sábado ou no domingo.




Marmita!

Coisas verdes

A minha refeição tem de ser sempre acompanhada de qualquer coisa com sabor a verde (isto será uma figura de estilo qualquer...). Mesmo quando se come pizza, quiche..., preparo uns bróculos rápidos ou faço uma salada. Há falta de alguma coisa verde, uns tomates também servem.
Como não sou imune à toxoplasmose, saladas, só mesmo em minha casa (ou no máximo em casa do meu pai, que levou com uma palestra minha sobre lavagem de legumes).








Pequenos almoços

Continuou mais do mesmo. Em equipa que ganha não se mexe! Quando se tinha mais tempo, fazia uma coisa mais completa, quando via os ponteiros o menu era consoante o que tinha disponível e os meus apetites do momento.











Papas de Aveia 

Isto também faz parte do pequeno almoço, mas merece destaque especial.

Aveia - A aveia é um hidrato de carbono complexo e por isso de absorção lenta, o que equilibra o açúcar no sangue. Rica em magnésio e zinco e ácido fólico.
Como é uma coisa que gosto bastante, consumi muita durante a gravidez, especialmente durante o último trimestre, já que andava com menos apetite, mas queria aumentar o consumo de boas calorias. Eu gosto de preparar as papas com bebida de soja e banana.  Depois, complemento com fruta fresca, frutos secos e sementes.







Refeições fora de casa

Como já referi, fiquei um bocadinho limitada com a não imunidade à toxoplasmose, por isso, tentava pedir legumes salteados ou outro acompanhamento.
Não obstante, nas últimas duas semanas de gravidez, arrisquei e comi tomates fora de casa. O perigo de contaminação estava lá (ainda que não conheça nenhum caso!), mas as consequências para o bebé nessa fase seriam praticamente nulas. 

Almoços e jantares







Lanches

Tanto em casa como "na rua", dá para ver que os meus lanche eram um bocado repetitivos...eu, o pão, o queijo e o leite.



 

Lanches em casa e no trabalho







Amêndoas 

Um dos meus snacks favoritos - especialmente se for torrada e da marca "Frutorra". Não é uma coisa propriamente barata - 150gr custam cerca de 2.49€, mas bem doseado, ainda dá para algumas vezes.
Com ácidos gordos Omega 6 e vitamina B.
Foram também as amêndoas da minha Pascoa.

Fruta

Vai-se aproveitando as frutas da época: mais barato e mais saboroso.


Maças, é uma coisa que gosto tanto!
...mas que me desgasta o estomago se for comida "sozinha" e por isso, um punhado de amêndoas ou outro fruto seco resolve a questão.



Coisas mais doces sem açúcar

Durante esses 9 meses, também fiz alguns miminhos docinhos, mas sem utilizar açúcar.
 







Coisas ainda mais gulosas...

Nem sempre, nem nunca...
Papa Pensal - já falei nela aqui
Pão com chouriço na Vila Natal em Óbidos
Corneto de chicolati na Nazaré.

Estadia no Hospital

...e eu não era eu, se não tivesse uma opinião sobre a comida do hospital e se não tivesse tirado fotografias ao comer. Pois bem...muitos pontos positivos:
.Serviam 6 refeições por dia. 
.Suspeito que tenham aconselhamento nutricional, porque as refeições principais eram sempre equilibradas e começavam com sopa.
.Não tinha sal em excesso e o sabor era francamente bom.

Ahh, mas há quem reclame e diga: "a sopa tinha umas coisas esquisitas a boiar..."; Nota: as "coisas esquisitas" eram bróculos.

.O único ponto menos positivo (e que não é sobre a comida): as facas!...mas tão perto da terra das facas = Benedita, e não havia uma que cortasse? (já parecia que estava na minha casa!) 





 ...como eu sabia que nas refeições intermédias, para acompanhar o iogurte, poderia optar por bolachas Maria (que não como...porque não quero) ou pão (como comia pão de manhã, não me apetecia repetir), levei os meus snackzinhos de frutos secos.

...e depois, temos a água. 
Não é preciso ser como eu, que devo de sofrer de uma patologia crónica e estou sempre com sede e sempre a beber!, mas convém ir bebendo água para não desidratar.


Já em casa...

 Lanche "tipo" dos últimos dias. 

Detalhe que me ajudou no "regresso a casa":  quando se chega do hospital, uma pessoa tem lá apetite ou tempo para cozinhar. A prioridade é cuidar da "cria" e maldizer os pontos que não a deixam sentar-se.
Uma ideia excelente que retirei de " O grande livro da grávida": congelar refeições!
Uns dias antes de ir para a maternidade, sempre que fazia alguma coisa elegível de congelação, duplicava a dose! Fui para o hospital com a arca bem recheada e devo dizer que menos de um mês depois, já se comeu tudo. Como o homem estava cá por casa, foi fazendo uns grelhados, mas quando estávamos muito cansados, recorria à arca.
Deixei a lista na porta e ia riscando à medida que ia utilizando.

Resumo: basicamente não alterei grande coisa. Continuei com uma alimentação equilibrada, sem grandes devaneios. No pós-parto, tem continuado assim. Aumentei 10.4kg durante a gravidez. Já perdi 8.8kg naturalmente - sem dietas ou maluqueiras.