quarta-feira, 26 de março de 2014

3 anos longe do açucar

Como já mencionei anteriormente, o processo de redução/extinção da ingestão de açúcares, não foi um decisão planeada (tipo : "vai ser para o resto da vida"). Já passaram 3 anos e simplesmente aconteceu de uma forma natural. O meu corpo não me pede esse tipo de açúcares e eu sinto-me feliz assim. 

Posso entrar numa pastelaria e nem olho para os bolos nem doces. Mas faço de propósito?
Não...mas aquilo não me diz nada e não por isso, não posso dizer que faça esforço. O meu cérebro desligou de uma tal maneira o que tornou as coisas muito mais simples. Penso que o processo é similar ás pessoas que deixam de comer carne, mas que nunca pensaram: "vou ser vegetariana!" Vai acontecendo e nós deixamos acontecer.

Mas não comer "açúcares" fez parar as oscilações de peso durante estes anos? 
Não. Ainda que fossem menos notórias, não deixei de ter ups and downs no peso.
Quando estou ansiosa ainda desconto na comida - se bem que de uma forma bem mais moderada e controlada - mas nessas alturas ataco na fruta, no pão, na proteína...basicamente em tudo o que me sabe bem, que tem a conotação de "saudável", mas que não é isento de calorias. No entanto, só pelo facto de não ser açúcar puro, fica muito mais fácil de quebrar o ciclo.

Em 2012, este foi o texto que escrevi: 1 ano livre de açucar.

Quando os colegas de trabalho souberam que estava grávida começaram a perguntar: "e se a meio da noite te apetece um bolo ou chocolate, o que é que fazes?"
Eu não sabia se me iria dar algum ataque de parvoíce e por isso, a minha ideia sempre foi : "se a vontade surgir, vou lidar com essa situação na altura". O máximo que me apeteceu foi...sopa de feijão seco e a avaliar pela minha gravidez, isso de "desejos de grávida" é um bocadinho "treta"...
Eu sei que há casos patológicos, porque as mulheres querem comer coisas como...carvão ou giz!, mas a nível geral, acho que é o inconsciente do cérebro a dizer: "estás grávida, podes comer!" e as mulheres cedem. É comum a fome aumentar nas mulheres grávidas - porque as exigências energéticas são maiores - mas há um aproveitamento para se "vingar" nos açúcares.

Prazeres do fds (sem açúcar)...
 Iogurte com mirtilos, amêndoas, sementes de chia.
Panquecas de banana e um cafézinho.

Outra efeméride de Março...

Fez 1 ano que fiz a travessia da Ponte 25 de Abril - Corrida EDP. Este ano, com grande pena minha, não fui porque não me sentia preparada fisicamente e ir parar a um hospital de Lisboa não era o meu sonho!
Fica para o ano...mas a memória de 2013 continua marcada em mim... "Nossa! foi assim tão bom que se tornou memorável?" O meu joelho ainda diz que sim! 
2013
2014


O último fds deu para organizar algumas coisas mas também para descansar um bocadinho.

Coisinhas a assinalar...

Elíptica.
Repito: não ando a treinar para prova nenhuma e não me quero esforçar mais do que devo.
 Isto é mesmo para me mexer...
...mas no fim não descuro os alongamentos.
A minha técnica de atar os sapatos também é mais ou menos esta.


Sábado

 Almoço de aniversário do pai
 Jantar de aniversário da sogra

Domingo

Coisas que tenho de fazer mas não gosto, nem tenho jeito: costura.
O homem é perito em destruir fardas. O trabalho dele é muito físico e desgastante e não há calças que durem mais de 2 semanas sem precisar de remendos. Nunca tive jeito para costuras, malhas, crochets...e preferia não ter de o fazer, mas o que tem de ser, tem de ser.


E a partir de hoje, a malinha para a "sala de parto" já anda comigo. Esta mala contém aqui que é essencial para as primeiras horas depois de ter o bebé. Já ando com ela porque, comecei hoje a fazer as visitas semanais ao Hospital de Caldas da Rainha - para fazer o CTG e saber como vai a evolução da dilatação. Está tudo bem com o menino e as coisas estão bem encaminhadas.

Só fui para o Hospital depois do trabalho e apesar de não ter esperado praticamente nada, acabei por sair de lá às 20h30...cheia de fome. Precisava "fast" de "food"!...e o que me ocorreu foi mesmo o Mcdrive do McDonalds. Não ter de sair do carro e poder vir a comer pelo caminho foi tentador. Isto de eu não poder comer saladas fora de casa é bastante limitativo.
Opção que achei menos má: uma McBifana à Cervejeira. Cheguei agora a casa e fui consultar a tabela nutricional. Afinal de contas, se tivesse comido um Double Cheesburger tinha sido melhor em termos nutricionais! Para a semana já vou prevenida com comida.
   
Não é propriamente a do "Bigodes", mas estava tão faminta que deu para o gasto.

...e agora vou descansar que estou a precisar!

sexta-feira, 21 de março de 2014

De repente...só falta 1 mês.

Se tudo correr bem, daqui a um mês a minha vida ainda vai ser mais colorida.

O termo em português é "Data Prevista para o Parto", o que pode induzir em erro. Não quer dizer que aos bebés nasçam exatamente nesse dia, mas sim que a gestação completa as 40 semanas nesse dia. Due Date parece-me um bocadinho melhor. Assim sendo, a DD do menino é 21 de Abril, o que significa um exacto mês de agora em diante...
Na prática, pode ser quando ele se lembrar, mas sinceramente acho que antes da Páscoa estaremos em casa para comer muitas amêndoas - torradas e sem adições!

As coisas têm andando bem. Estão menos fáceis, mas não quer dizer que estejam difíceis. É tudo bem suportável, mas é inegável que a barriga pesa um bocadinho mais, que tenho algumas contrações, que estou um bocadinho mais  ansiosa com a chegada da altura...mas mesmo assim sinto-me bastante bem e serena.

Sobre o meu aspecto físico, a reacção das pessoas é a mesma: "Não tens cara de grávida. Não estás nada inchada". Confirmo. Se estiver sentada numa mesa, passo bem por "estado normal"...apesar de estar com mais 11kg em cima. A médica diz que não parece e que estou muito "elegante". Muito engraçado de ouvir isso quando a balança acusa uma coisa diferente. O número das calças é basicamente o mesmo (anterior á gravidez) e o aumento centra-se mais na barriga ainda que seja mais para os "lados" e não tanto para a frente. Nunca pensei que me sentisse tão satisfeita por ter o biótipo que tenho. Afinal de contas o meu corpo está feito para a gravidez. Ahhhahhh.O facto da minha "barriga de grávida" não começar imediatamente a seguir ao peito facilita em muito. Ou seja, há mulheres cujo bebé está posicionado bem em cima, mas o meu só se sente depois do começo das costelas.
Não senti (ainda não sinto!) a mobilidade comprometida. Adoptei técnicas de movimentação - se não é tão acessível apanhar um papel do chão com uma postura direitinha, faço um agachamento de pernas afastadas e não custa nada (vá...isto não é assim muito elegante, mas neste momento, o conforto preocupa-me mais!).Se não fica tão fácil de manusear os atacadores, levanto  a perna 1 metro para cima da bancada e assim não custa tanto (mas esta técnica e muito própria e não aconselhada a todas). A única coisa que ainda não me acostumei foi mesmo a de passar a pé entre dois carros apertados. Penso sempre que passo, mas no fim, tenho de me render à realidade.

Continuo a fazer a epilítica regularmente - em média 6 vezes por semana durante 30 minutos - e continuo a alimentar-me bem. Tento dormir 7 horas por noite (mas a qualidade deixa muito a desejar! e no meu caso não está relacionado com a gravidez).

E como e que anda o resto da vidinha ?

Os fins de semana pegam-se com as semanas (a sério?dahhh)...O que eu quero dizer e que não sinto aquela separação entre a semana de trabalho e o sábado e domingo. Parece que por mais organizada que tente andar, se analisar as coisas, a maior parte dos dias começo a bulir às 6h15 e só me sento no sofá às 22h00 ou vou diretamente para a cama. Na segunda feira, eu e o homem conseguimos a proeza de "estarmos despachados" às 20h20, mas aproveitei para descansar e acho que nem o pc liguei. Só meti as pernas para cima e tentei relaxar.

Isto não quer dizer que eu passe a vida a trabalhar! No último fds esteve um tempinho bastante bom e mais uma vez, "marimbei-me" para as lides da casa- que tiveram apenas direito a serviço mínimos - e aproveitei para fazer trabalhos "na rua"...

Sábado

Supermercado - de onde finalmente trouxe "O ALHO"!!
Como consumimos bastantes produtos do Lidl, fui colando os pontos nas cadernetas e dando à Nina. O homem dava-me os pontos e eu fazia a mesma coisa. Na última semana perguntou-me se já tínhamos pontos  suficientes para o alho. "Oi?...pontos? mas eu dei os pontos à Nina!".
Se ele me tivesse esclarecido mais cedo, tínhamos pontos para o alho e para muito mais. Falta de comunicação! Lá reuni o que me faltava para a aquisição, mas o problema foi terem esgotado os peluches nas lojas das redondezas. Andei na demanda pelo legume e acabei por deixar o nome em lista de espera, mas o procedimento do supermercado foi impecável e mesmo depois da promoção ter acabado, arranjaram-me o peluche.
 

Manutenção das unhas- curtinhas, discretas. Como eu gosto!

Cabeleireiro: Cor no cabelo
Lanche com as amigas.

Jantar com as outras amigas do meu antigo emprego...



Domingo

Como no sábado a minha permanência em casa se resumiu a um par de horas, comprometi-me com myself que no domingo me ia dedicar a duas tarefas: preparar a mala para  a maternidade e à casa.
Eu só estava para fazer a mala lá para as 36 semanas, mas uma colega das aulas de preparação estava com a DD para 22 de Abril (um dia depois de mim) e acabou por ter a menina no dia 12 de Março com 34 semanas. Nenhuma complicação e correu tudo lindamente..., mas meti-me a pensar que se fosse comigo, não tinha nada "aviado".
Enquanto o homem dormia, dediquei-me à primeira: fiz a divisão das roupas a levar para o hospital, meti tudo em saquinhos e a jeito, mas ainda não enfiei nas malas. Agora, se houver alguma urgência, será mais rápido de terminar a tarefa.
O homem acordou e o meu compromisso durou pouco tempo...Convidou-me para irmos aproveitar o sol e eu acenei logo com um valente sim. Rumamos a São Martinho para almoçar, aproveitar o fantástico dia e acabamos por regressar a meio da tarde para ainda visitar a minha avó. Pena é que me deu uma espécie de mal estar generalizado e não consegui gozar o dia em pleno (teve direito a vómito e tudo - coisa que só me acontece de 5 em 5 anos! mas foi só cansaço acumulado e tensão baixa).
S. Martinho

Prevê-se que amanha o tempo não esteja tão primaveril (o que  supostamente me dará mais "força" para ficar em casa a meter tudo mais decente!!)...mas já tenho um almoço e um jantar marcado - aniversários do pai e da sogra (sim! no mesmo dia!).

E o quarto do menino? Já está preparado? Nope...e neste momento não está no topo das minhas prioridades.
Se seria agradável ter as coisinhas todas no sitio quando ele chegasse do hospital? Pois...logo vejo se vai dar ou não. Depende da pressa com que ele estiver para vir ao mundo. Se ainda me der umas férias entre o trabalho e o parto então centro-me nisso. Caso contrário há outras coisas que quero tratar primeiro.
Ele não vai dormir nesse quarto...pelo menos até Agosto. Os móveis estão lá e estão montados. De "decoração" ainda não tenho muitas coisas... porque ainda não vi nada que realmente gostasse e parece-me idiota ir comprar "a correr" coisas que não gosto particularmente, só para estar tudo montado para as "visitas".

E a propósito de gastar, esta fase é muito fértil nesse tema.

Que a vida não está fácil para quase ninguém, é um facto. Que vamos continuar a gastar e a investir dinheiro, é outro. Se vamos ao supermercado, ao mercado, às bombas de gasolina...estamos a investir. Se for possível rentabilizar o dinheiro que se investe, melhor!

Estas são algumas ideias que eu ponho em prática:

Cartão de Crédito
Se consultaram algum site que tenha dicas de poupança, uma das primeiras sugestões será: acabar com o cartão de crédito. Para mim...discordo. Ter um cartão de crédito não é sinónimo de gastar mais dinheiro ou de pagar juros.
Uso bastante os meus cartões e na data de vencimento, pago a totalidade, o que quer dizer que não pago nem um cêntimo em juros. Não me vou meter a gastar mais dinheiro do que posso só porque tenho um cartão de crédito. Utilizo-o assim como utilizo o cartão multibanco, só que o pagamento diferido. 
Atualmente tenho dois cartões- um não pago anuidade porque está "incluído na minha conta", o outro que está afiliado às milhas da TAP tem anuidade, mas foi opção minha solicita-lo. 


Mas como é que se junta alguma coisa usando o cartão de crédito?
Os cartões acumulam pontos, que podem ser utilizados em diversas coisa. Por exemplo, solicitei a troca dos pontos por cartões "Dá Valor", de 30€ e 5€, que podem ser usado no grupo Sonae - Continente, Sport Zone, Book it, Wells, Geo Star...
O cartão de crédito da TAP é um investimento a longo prazo e está mesmo relacionado com as milhas. Espero conseguir troca-las pelo menos por uma viagem.

Vender Livros
Depois de muitos anos a acumular livros, decidi que muitos poderiam ser rentabilizados. Obviamente que fiz uma selecção. Let's face it Lulu: nunca mais os vou reler e a minha casa é um poço de humidade e mesmo com alguns cuidados, os livros estão a ficar cheios de manchas. A fnac.pt foi uma boa solução. Não se vende aos magotes e atendendo a que é um segunda mão, o preço tem de ser competitivo. Entre comissões e despesas de envio, não se ganha muito dinheiro, mas o que vier é lucro. 
Neste momento, devo de ter vendido uns 8 livros.

Reciclagem de roupa da HM
Por cada saco de roupa entregue na HM, eles emitem um vale de 5€ para descontar em próximas compras. A roupa pode estar rota, estragada, em mau estado...não interessa. Na loja ninguém vai abrir os sacos para ver, por isso, não há que ter receio ou vergonha.
Há muita roupa que tinha/tenho, mas sei que já não está em condições de doar, mas que tenho "pena" de deitar para o lixo. Esta solução é excelente.


Aproveitar as promoções dos supermercados
Actualmente não tenho pachorra para andar a correr todos os supermercados à procura de boas promoções, mas tento manter-me actualizada e aproveitar o que nos "oferecem".
Por exemplo, o homem recebeu um cupão de desconto de 25% na "Wells". Soube-o com uma antecipação de mais de 1 mês. Atendendo a que eu precisava mesmo de comprar muitas coisinhas para o bebé, fui fazendo a lista e esperei pela data. Gastei 243.00€ e tive um desconto em cartão de 73.00€. Não comprei mais do que precisava, mas fiz stock de alguns produtos que sei seguramente que vou usar.
Agora, vou gastar esse dinheiro acumulado em mercearia. 

Entramos na Primavera, a chuvinha voltou e os minutos parece passar depressa de mais.
Prometo tentar cumprir a promessa de não ficar tanto tempo sem dar noticias para não pensarem que alguma coisa não está bem, mas é sempre bom saber que dão pela nossa ausência.

Bom f-d-s!

domingo, 9 de março de 2014

A palavra da semana: SOL!!!

Televisão, rádio, facebook, instagram, blogs...o assunto foi sempre parar a um tema especifico: SOL!! e eu não me consigo fartar desta palavra quando a temos em abundância. Oba, oba!!!

Uma das tarefas de sábado foi adquirir um protector solar para a cara com índice de protecção bem elevado. Estava crente que no domingo me iria servir de muito, já que vi sol 3 dias e achei que o Verão estava à porta. Continuo tão sonhadora...

Mais uma vez, optei pela "Bioderma" (isto está a tornar-se um caso grave de enamoramento!). Ainda tive direito a uma flor... por ser o dia da mulher. (Não vou acender discussões, mas não gosto desta efeméride. Percebo o significado que teve a nível cultural, mas é estranho! Parece que a importância das mulheres fica remetida apenas para esse dia e que o resto não importa. Além do que, as romarias de mulheres nessa noite a restaurantes e "discos" é um fenómeno que merecia um documentário! Adiante, que isto foi só um desabafo.)
Para experimentar o protector solar, hoje fomos ao Colombo - que e um sitio extremamente exposto e vulnerável as condições climatéricas.
Eu estava mesmo mentalizada que ia ser um dia com sol, mas quando acordei às 6h30 da manhã fiquei imediatamente decepcionada com o tempo (mais uma daquelas vezes que eu decidi "vou dormir ate querer"... e assim o fiz - pena que o meu até querer só durou atá às 6h30). Então, decidi deixar o homem dormir (que fez jus ao "até querer e durou até às 11h30).
Não me apetecia cozinhar e planos para a frente/planos para trás, decidimos dar uma fugidinha ao Colombo e almoçar por lá. Aproveitei para comprar umas últimas coisinhas que me faziam falta e passou-se o dia. Apesar de não estar sol, eu andei cheia se calor - só com uma camisola em cima do pêlo e sentia as minhas bochechas a queimar. Coisas boas da gravidez ( e juro que não estou a ser irónica!).
Almoçamos e fomos estrategicamente comprar capsulas à "Nespresso" a essa hora.
 Já que o tínhamos de fazer, aproveitamos e não pagamos os nossos dois cafés.  

Mas fazendo um "rewind" da semana...

Na última 5ªf  tirei o dia de férias. Objectivo: tratar da saúde.
Primeira fase: análises em jejum. Levantei-me só 20 minutos antes do laboratório abrir ou começava a subir pelas paredes com fome. Aproveitei e fiz logo o ECG.

Segunda fase: à tarde fomos ( porque não deixei o meu menino em casa) a Leiria fazer a ecografia das 33 semanas e 3 dias. Tudo normal. Tudo ok. Menino já tem um peso aceitável. Dizem que são 2.236Kg, mas sinceramente acho que estes cálculos são mais ou menos como o totoloto. Quando ele nascer, logo se vê o peso real.
Às 18h tinha que estar de volta à Benedita para fazer a aula de preparação para o parto, ou seja, foi daqueles dias que também não deu para sentar o rabo no sofá. Fica para a próxima.
 O dia também estava um espetáculo e andei a divertir-me a fotografar no parque de Leiria. 
Em Leiria também há bagels! 
Comprei dois para experimentar, mas trouxe para casa porque não tinha fome na altura.
Com requeijão ou doce....muito bom!!

Constatação desse dia: "see and be seen" é uma coisa do passado.
Antigamente eu andava sempre na Benedita (essa bela localidade!): trabalhava lá, saía todos os dias para ir aos bancos e ctt. Ia ao café à hora de almoço. Via as pessoas e as pessoas viam-me a mim.
Foram 12 anos neste ritmo. Mudei de emprego - só a 10 minutos daqui, mas fez uma diferença enorme - e na prática, faço uma  visita ao centro da vila de mês a mês - parece exagero mas é verdade. Com excepção do supermercado em que vou sempre à pressa, muito dificilmente me encontram. Eu deixei de ver as pessoas, as pessoas deixaram de me ver. Há conhecidos e família (do lado paterno) que nunca me viram grávida. Há pessoas que não sabem que estou grávida. Há outras que estão comigo grávida de 33 semanas e me perguntam..."e filhos? ainda não pensas nisso?" e eu fico com cara de ainda mais parva,  mas abro o casaco e aponto para a barriga sem dizer uma palavra.

No sábado à tarde fui sozinha dar uma volta às Caldas da Rainha e como as minhas melhores compras são feitas quando menos estou à espera, trouxe o carrinho do bebé. Quer dizer... não é bem "o carrinho", mas sim 1 chassi e 3 "assentos" diferentes. Qualquer dia pormenorizo a compra, mas posso dizer que as condições mais importantes foram reunidas: o chassi cabe no meu porta bagagens (muito importante para quem tem um carro pequeno como o meu!), monta-se e desmonta-se muito facilmente e o preço foi bastante bom fase ao mercado: Trio Living Smart da Chicco - 479.00€ na "Túnica".
Como sou eu que vou andar maioritariamente com ele, nem esperei pela opinião do homem, mas quando cheguei a casa estive a exemplificar e acho que ele também gostou.


Yes, we have bananas! 
As minhas câimbras têm dado noticias todas as noite e então intensifiquei o consumo de bananas e ando a tomar uma dose extra de magnésio.
Lanche de sábado de manhã - no trabalho.
Lanche da manhã de domingo: banana esmagada com sementes de chia, amêndoas torradas e ameixa seca.


Receita de uma espécie de Quiche...


Nunca fui muito à bola com as "quiches". Não me sabiam bem. Na semana passada, num programa do Porto Canal (que apanhei enquanto passava a ferro), estavam a fazer uma receita de "tarte salgada" que me chamou a atenção porque não levava natas nem molhos. Não apontei nada, mas aquilo ficou-me na cabeça. No sábado, para o jantar, decidi usar essa ideia da receita e recriei à minha maneira e com os ingredientes que tinha no frigorifico (a precisarem urgentemente se serem consumidos). 
Ou eu estava com muita fome, ou aquilo estava mesmo bom.

Ingredientes:

.Pimento verde 
.Pimento vermelho
.Cenoura 
.Alho francês(usei congelado)
.Cebola
.Cogumelos(usei de frasco)
.Azeite 
.Molho de soja

.5 ovos
.Sal
.Pimenta 

.Salsichas (ou outra proteína que ande no frigorífico a precisar de ser consumida)

.1 base de massa quebrada (se conseguirem daquelas com menos gordura, tanto melhor)
.Tomates cherry 
.Queijo para gratinar ( eu usei um qualquer que o homem tinha no frigorifico)


*Cortar os legumes em juliana; Saltear em azeite. Eu tenho aplicado a "técnica" do "em lume alto e mexendo frequentemente" -quase como se fosse no wok. Assim, não é necessária tanta gordura e é bem mais rápido. Como fui juntando molho de soja já não meti sal nos legumes.

*Tirar a massa do frio e depois de um tempinho cá fora, estender na forma. Não façam como eu! Não tinha forma apropriada e meti numa de bolos, mas custou desenformar.

*Bater os ovos com uma pitada de sal e pimenta.
Ao preparado dos legumes juntar os ovos e as salsichas cortadas às rodelas.

*Verter o preparado para a forma e espalhar os tomates cherry em metades. Ralar queijo por cima da quiche.

Como já tinha cozido um bocadinho a massa, as bordas já tinham começado a ganhar cor. Depois de meter todo o preparado no forno, achei que estava com tendência a queimar por cima, mas o ovo ainda não estava cozido, por isso, tapei com papel de alumínio e só o retirei mais para o final, para ganhar aquela corzinha boa.

Atendendo ao meu esquecimento natural e agora bem potenciado pela gravidez, vou ter de começar a escrever as receitas que me correm bem ou amanhã já me esqueci. Receitas e não só!

terça-feira, 4 de março de 2014

Coisas da semana, do fds e da semana outra vez

 Fechou-se Fevereiro e sinto que Março vai passar bem rápido.
 À pergunta: "então? é para quando?"  respondi : é para Abril. E depois de constatar a realidade por uns momentos  rematei com "ou seja, para o mês que vem." Quero aproveitar o que falta. Quero conhece-lo, mas espero aguentar bem estas 7 semanas que nos separam. O essencial é que venha com saúde e supostamente, quanto mais perto estiver das 40 semanas, melhor. 

 Fim de semana:
 Um tempo mais "chungoso"  como o que esteve é difícil. Não estava frio. Cerca de 14ºC na rua, mas estava uma chuvinha "molha não molha". Conclusão - a humidade apoderou-se de tudo. A garagem escorria água nas paredes. Não se podia abrir janelas porque, em vez de arejar estaria certamente a contribuir para mais bolor.
 Agora que já me queixei do tempo, posso dizer que foi perfeito para as minhas actividades. Sair não me apetecia. Ficar a ronhonhar no sofá não me apetecia...porque depois ficava com a "consciência pesada" de ter passado um dia desperdiçado sem ter feito efectivamente nada e ainda não consigo conviver com isso naturalmente.
 No sábado de manhã, enquanto estava na elíptica e depois de "instagramar" com a Andreia , comecei a pensar em toda a roupa do menino que ainda tinha de tratar e decidido que "era o fds". Tinha tanta ideia de fazer isto, como de ir para a China, mas estando feito, fica feito. Não contei o número de"máquinas". Sei que foram muitas.Lavar, secar, passar...over and over again.
 Secar ao sol...temos pena, mas não aconteceu. Durante a semana não tenho horário que me permita meter a roupa ao sol enquanto trabalho - ficaria uma semana na rua e não secava. Esperar por um fim de semana com sol aceitável seria um "tiro no escuro". E convenhamos! nascem bebés em sítios em que o sol se vê uma vez por ano e não é por isso que deixam de se vestir. 
 Para as roupas que me foram emprestadas, tive um cuidado especial e ainda estão estendidas com o desumidificador ligado para ver se ajuda a secagem.

 Me and my baby a comemorar as 33 semanas.
O pc nem tem sido ligado e é neste tempinho na elíptica que me "actualizo" no telemóvel, mas é muito difícil comentar.
O trabalho de sábado e domingo.

Para descontrair um bocadinho, no sábado à noite fomos ao cinema ver "The Monuments Men".  Eu gosto daquela época histórica - II Grande Guerra Mundial - e dos actores - George Clooney, Matt Damon, Bill Murray... mas o filme não é propriamente uma obra prima. Acho que pode ser muito bem visto em dvd...ou quando passar na tv.

 O domingo foi a continuação de sábado na questão das roupas mas o homem deu uma pequena ajuda nas outras tarefas domésticas o que facilitou a logística, além do que tivemos visitas na tarde de domingo.
Posso dizer que cheguei à noite com a plantas dos pés estouradas - coisa que só me acontece quando ando mesmo muito.

 A semana já tinha sido cansativa e mal dormida. Não posso dizer que seja põe causa da gravidez. As  "dores" que tinha são as mesmas: volta não volta as costas atormentam e os sonhos continuam diariamente. Não há muito que possa fazer.
 O pior mesmo é que as noites mal dormidas afectam o dia. As pernas queixam-se mais, as enxaquecas ficam mais frequentes e o raciocínio  ressente-se. O café ajuda-me nessas alturas...mas a minha quota está reduzida a um por dia e engano o vício com descafeinado. Sinceramente não sei o que é menos mau: se a cafeína se o facto de sofrer mutações para ser descafeinado.

 Ah pois! Semana puxada, fim de semana estourada...e toma lá uma valente má disposição/insónia de domingo para segunda! What? Eu preciso de descansar, não é ficar mais cansada! Quem me manda a mim jantar cozido à portuguesa e comer morcela de arroz? Ninguém me mandou, mas foi o jantar. À partida sei que a morcela me deixa mal disposta, mas não a morcela de arroz. Desta vez o meu sistema digestivo não deixou passar incólume o"pecado". Adormeci...acordei com sede e bebi água qb. Pior!! morcela de arroz/má digestão/água- errado!!!

 Mas a minha alimentação não tem sido só à base morcela de arroz (à qual já fiz "uma cruz" até ao final da gravidez). Continua a ser tendencialmente "saudável" e com muita cor:
 Papas de aveia, banana, goji, sementes de chia.
 Kiwi: todos os dias.
Queijo, queijo e mais queijo (com a desculpa que é por causa do cálcio...).
Opto pelo magro/light no dia a dia e deixo o "normal" para os dias de festa.

 Continuando com a saga da insónia...
 Fui fazer chazinho que acompanhei com uma maçã (que para mim é das coisas mais digestivas que conheço)
e sentei-me na cama para não prejudicar a digestão enquanto os óscares passavam na tv e eu ficava à espera que o sono retornasse.
 Menos mal (ter alguma coisa para me entreter)... mas a magia definitivamente não é igual ao que era antes da internet. As coisas tinham um sabor totalmente diferente. Se não vias em directo, dificilmente poderias rever. Eu cheguei a gravar em Vhs e a fazer quase directas para não perder pitada...mas as coisas foram"evoluindo" para o bem e para o mal. 
 Na mesa de cabeceira: chá e maçã.
...e se não estivesse grávida o melhor mesmo seria beber uma coisinha doce para ver se ficava anestesiada e se dormia melhor.

 Sentei-me na cama para não prejudicar a digestão enquanto os óscares passavam na tv e eu ficava à espera que o sono retornasse. Conclusão: estive acordada da 1h30 às 5h10 da manhã. Só acordei às 7h39 com o homem a perguntar: "mas hoje não vais trabalhar?". Onde, quando, como , quem???? Nem o despertador/telemóvel me lembro de ouvir.

Mais assustador foi quando abri o e-mail e vi a newsletter desta semana do "WhatToExpect.com":


Week 33 of Pregnancy: Insomnia

Third-trimester insomnia strikes more than 75 percent of pregnant women — very tired pregnant women.




How unfair — that when you need it the most, you can't get it. You keep on telling yourself it's the last opportunity for a long, long time (at least until your baby's sleeping through the night). But you still can't get any. No, not sex, woman — sleep!Third-trimester insomnia strikes more than 75 percent of expectant moms — very tired expectant moms. At 33 weeks pregnant, all the hormonal changes, the midnight treks to the bathroom, the leg cramps, the heartburn that won't quit, the fact that you can't get comfortable when you're in bed with a watermelon where your tummy used to be, and the anxiety you're likely feeling about the impending birth of your baby (and the fact that you still haven't decided on a name for your baby) all contribute to your inability to catch some satisfying z's.
Looking for ways to summon the sandman? Worrying about it won't help, and neither will staring at the clock watching the minutes tick by. Instead try a warm bath and perhaps a warm cup of milk before turning in, avoid exercising, eating, or drinking too close to bedtime, and solicit your partner for a massage (you deserve it!). If sleep still eludes you, read a book or listen to soothing music until drowsiness sets in. If nothing works, at least you can be comforted knowing that this may just be Mother Nature's way of getting you ready for the sleepless nights ahead.
 Ohhhhohhh a minha primeira noite nas 33 semanas e isto acontece logo! e nem posso dizer que fui influenciada com isto porque só a vi posteriormente.

 O Carnaval este ano quase que me passou despercebido...mascarar-me não estava nos planos, além do que a perspectiva era de trabalhar também na terça feira. O patrão foi generoso e na 2ªf ao final da tarde deu dispensa para o dia seguinte. O Carnaval Nocturno da Benedita foi visto em forma de fotos via facebook...estava tão cansada (e o homem idem-idem/aspas-aspas) que aterramos os dois no sofá e já nem saímos de casa.

 Esta terça feira saldou-se por ser um dia muito pouco productivo apesar de não ter parado.

 Estava a apetecer-me um miminho e para a sobremesa do almoço fiz...crepes. Como usei maioritariamente farinha de trigo integral, ficou com bastante textura e não exactamente fininhos como os "normais".

Crepes simples
.2 ovos inteiros;
.70gr farinha de trigo integral;
.30gr farinha de trigo;
.1 colher (chá) de fermento;
.1 pitada de sal;
100 ml leite magro;

*Ir juntando os ingredientes por esta ordem à medida que se vai batendo.
*Deixar a massa descansar por 20 minutos. 
*Untar muito ligeiramente uma frigideira anti aderente com azeite e cozinhar os crepes de um lado e outro até ficarem "douradinhos".
* Polvilhei com canela e "maple syrup", mas com doce também ficaria perfeito.

E agora...over and out que amanhã é novamente dia de trabalho.